“Gabinetes de extensão rural” levam às aldeias conhecimento na área agrícola

gabinetes_rurais.jpgIncentivar o investimento na agricultura e dotar os agricultores de conhecimento técnico são os objectivos dos “Gabinetes de extensão rural- conhecimento de proximidade”. O primeiro gabinete foi inaugurado ontem na sede da Junta de Freguesia de Espinhosela. O Objectivo é criar pelo menos mais cinco, nos concelhos de Bragança e Vinhais.

16-03-2015 10:23

Abel Pereira, o presidente da Arborea, Associação Agro-Florestal e Ambiental da Terra Fria Transmontana uma das entidades envolvidas no projecto, explica que o principal objectivo é levar o conhecimento aos agricultores. “É o que nós chamamos de conhecimento de proximidade: chegar às pessoas, estar mais próximo das pessoas e levar-lhes o conhecimento. Queremos estabelecer uma interligação entre a tradição, a cultura, a ciência e a inovação. Vamos também prestar apoio nas candidaturas a subsídios. Há alguma dificuldade dos agricultores em se deslocarem às sedes de concelho para se candidatarem a essas ajudas”, frisa Abel Pereira. Além da Arborea e das Juntas de Freguesia, o projecto conta também com a participação do Instituto Politécnico de Bragança e empresas da área da fertilização dos solos. Os parceiros estão também a desenvolver campos de demonstração onde estão a ser testados os tipos de adubos mais adequados a cada cultura. O professor da Escola Superior Agrária de Bragança, Manuel Rodrigues, explica que ainda há muito por fazer na área da fertilização, de forma a descobrir qual o adubo mais adequado para o castanheiro. “Vamos ter que perguntar ao castanheiro como é que ele se sente quando se aplica a gama de adubos que está no mercado. Temos que perceber o quão temos que corrigir o solo em termos de ph, quais os níveis de fósforo que temos de colocar do solo e todos os outros nutrientes. Neste momento estamos a adubar o castanheiro com base na informação genérica das outras culturas. Ainda não conhecemos a especificidade desta planta. Podemos estar a gastar recuros, sem ter o devido retorno”, constata o investigador do Instituto Politécnico de Bragança. O presidente da Junta de Freguesia de Espinhosela acredita que o gabinete de extensão rural pode impulsionar a criação de uma associação de agricultores que permita a certificação dos produtos regionais. Para ganhar escala, o autarca considera que era necessário dotar as freguesias do concelho de Bragança de um pavilhão de armazenamento dos produtos.“Este gabinete pode ajudar os agricultores, se assim entenderem, a constituir uma associação de agricultores. Vão ter que ser eles, nem que seja com o apoio da Câmara Municipal e a Junta de Freguesia, de fundos comunitários, à construção de um pavilhão que sirva para recolha e futura venda dos produtos”, sublinha o autarca. Depois de Espinhosela, está prevista a criação de gabinetes de extensão rural nas freguesias de Samil e Parada, no concelho de Bragança e de Moimenta, Fresulfe e Vilar dos Peregrinos, no concelho de Vinhais.

Escrito por Brigantia.